terça-feira, 4 de abril de 2017

Poema sobre Lisboa

              
   Ès a Lusa Capital, cidade das sete colinas,
   Que brilham com o Sol , luzes e o luar,
   Reflectem -se nas águas do Tejo e mar,
   Origina um encanto que o mundo fascinas.


   Hoje como outrora és cidade Cosmopolita,
   Lisboa, porto de chegadas e partidas.
   Lugar dos políticos, negócios e todas lidas
  Centro onde tudo se movimenta e agita.
  

   No trabalho, divertimento .passeio e jogo
   Com condições de vida para toda a gente
   É a forma de vida desta cidade deste povo
   

   Ouve-se a  sua genuína  canção que é o fado
   Em todos os espectáculos se canta e sente
            É o segundo hino, do presente e passado

Baieta invesjoso que nunca saíra do seu cubículo

Um homem foi ao barbeiro de costume, pois precisava de um
 corte de cabelo porque ia fazer uma viagem.
 Enquanto o barbeiro lhe cortava o cabelo, começou a contar 
que estava prestes a ir férias para Italia - Roma.
 "ROMA?!", diz o barbeiro, "Por que  quer ir para lá? É uma 
cidade suja, e cheia de mafiosos! O senhor faz mal ir para Roma!
 Em qual é companhia aérea que vai viajar?
 "Vamos de TAP", o homem responde.
 "TAP?!", grita o barbeiro. "Mas é uma companhia aérea terrível. 

Seus aviões são antigos, suas comissárias de bordo são camafeus 
e os voos estão sempre atrasados!
E onde vai ficar em Roma?"
 O homem diz: "Nós vamos nos hospedar no Intercontinental, 

mesmo no centro da cidade de Roma".
  "Naquele moquifo?!", diz o barbeiro. Esse é o pior hotel na 
cidade! 
Os quartos são pequenos, o serviço é grosseiro e lento e eles
 são muito caros!
Então, o que vai fazer quando lá chegar?"
 O homem diz: "Bem, nós vamos ao Vaticano, e eu espero 

conseguir ver o Papa."
 "Haha! Essa é boa!", ri o barbeiro. " o senhor e um milhão de 
outras pessoas vão  tentar vê-lo.  Vai parecer do tamanho de 
uma formiga no meio daquela multidão.  
 Só lhe desejo boa sorte nessa viagem. vai precisar muito dela!"
 Um mês depois, o homem regressa de férias e volta o mesmo 

barbeiro para cortar novamente o o cabelo.
​O barbeiro diz: "Bem, como foi sua viagem para Roma? Aposto
 que a TAP lhe deu o pior voo de sua vida!" 
"Não, muito pelo contrário", explicou o homem. "O avião era
novo, saiu na hora exata e, além de tudo, como estava muito
 cheio, eles nos deram-nos um upgrade para a primeira classe. 
A comida e o vinho estavam maravilhosos, e eu fui servido por
 uma bonitacomissária de bordo de 28 anos! "
"Hmmm", diz o barbeiro: "Bem, eu aposto que o hotel foi 
exatamente como eu descrevi."
"Não, muito pelo contrário!  o hotel é um dos melhores do 
mundo hoteleiro. E é o melhor hotel em Roma. Eles estavam
lotados e deram-nos uma suíte presidencial sem nenhum custo
 extra!"
"Bem", resmungou o tosquiador, "E conseguiu ver o Papa!"
"Na verdade, estávamos com bastante sorte. Quando visitamos 
Vaticano, um guarda tocou o meu ombro, explicou que o 
Papa gostaria de conhecer pessoalmente alguns dos visitantes, 
e  levou-me até sua sala, onde fiquei esperando.
Depois de 5 minutos, o Papa atravessou a porta e apertou 
minha mão. Eu ajoelhei-me e ele disse algumas palavras para 
mim."Impressionado, o barbeiro implora: "Diga-me, por favor! 
O que ele disse?"
"Ele apenas disse: Onde você conseguiu esse corte de 
cabelo tão ridículo, parece que foi cortado com um tijela
na cabeça!...


Escolhe o companheiro/a para que te não prejudique

O agente da GNR manda o sujeito parar o carro:
 - O senhor ía à velocidade de 130kmh, onde
 só é permitido 100.
-Não, senhor guarda, eu ia a 100, de certeza.
 A sogra, no banco de trás, corrige o genro:
 - Ah, Rafael, que é isso? Tu ias a 130 ou até mais!
 O sujeito olha para a sogra com o rosto enrubescido.
 - E o seu farol direito não funciona, diz o guarda.
 - O farol? Nem sabia disso. Deve ter pifado aqui há
alguns minutos.
 A sogra insiste:
 - Ah, Rafael, que grande mentira! Há semanas que
 andas a dizer que precisas  de substituir as lâmpadas do
farol!
 O sujeito fulo, faz sinal à sogra para ficar calada.
 - O senhor também está sem o cinto de segurança, diz
o guarda.
 - Mas, senhor guarda, eu estava com o cinto. Só o tirei
 agora para lhe mostrar os documentos!
 - Ah, Rafael, deixa-te disso! Tu nunca usas o cinto e só 
o pôes quando eu te chamo à atenção!
 O sujeito não se contém e grita para a sogra:
 - CALE A BOCA, PORRA!
 O guarda inclina-se e pergunta à senhora:
 - Ele costuma gritar sempre assim com a senhora?
 - Não, senhor guarda; só quando bebe de mais!...
Assim acabou  condenar o genro em toda a linha.

Quelq´unes expressions qu´il faut connaître

 Quand  les chinois visitent  le Portugal, ils ne savent pas qu´ils
achètent  des souvenirs fabriqués chez eux.

Je cherche neurons même d´accasion pour offrir à certaines
 personnes de ma connaisance qu´elles en ont besoin.

Pour que le vin fasse du biem aux hommes, il faut que ce
 soient les femmes qui le boivent,

La bière semble contenir des hormones féminines , en effet
après  en avoir bu  c´est  impossible de fermer la gueule

Il vaut mieux un petit canard dans ma baignoire qu´un gros
Canard  dans son plumard

J e ne suis pas un ergophobe, mais j´ai cherché toute ma vie
 un sosie qui veut travailler à ma place. Notamment quando j´étais
dans le petit village où j´ai vécu pendant  vingt et un ans.

Il vaut mieux manger des spaghettis avec des amis que du

 caviar avec des conards

terça-feira, 7 de março de 2017

Rafael Souza

Até aos 21 anos de idade viveu numa aldeia
Foi tempo de mais naquela vida tão dura
Fez 4ª classe empregou-se na agricultura
Sem  aí ver futuro que um jovem  anseia.


Quando foi obrigado cumprir o serviço militar
Escolheu prestar essa missão  na Marinha
Fora muito diferente  da vida árdua que tinha
Para  a tarefa sem dignidade não quis voltar.


Assim, optou por fazer da Marinha profissão
Por náo ter nem ver outra melhor alternativa
Mas esta arte bélica, não era a sua vocação


Tentou vislumbrar  emprego mais adequado
Foi obrigado a continuar na castrense vida.
Mas logo que lhe foi possivel veio reformado.


O Papa e o seu motorista

Depois de arrumar toda a bagagem do Papa, o motorista 
reparou que este ainda se encontrava no exterior da limusine.
 sem ocupar o seu lugar para que podessem seguir viagem".
"Bem, para dizer a verdade, gostaria de conduzir durante algum
tempo nesta viagem", diz o Papa, "no Vaticano nunca me
deixavam conduzir quando era Cardeal, como Papa ainda menos, 
eu queria ver como é conduzir esta linda e moderna limusine!".
"Desculpe-me Santidade, mas não posso fazer isso. Perderia o 
meu emprego! E se acontecer alguma coisa" protestou o 
motorista,
desejando não ter ido trabalhar naquela manhã!
"E quem é que vai contar? Diz o Papa com um certo sorriso.
Relutantemente, o motorista senta-se atrás, enquanto o Papa
ocupa o lugar do motorista.
 O motorista imediatamente se arrepende pois, mal deixam o
Aeroporto e o Papa pisa fundo o acelerador a limusine atingiu
200 quilómetros à hora.
"Por favor, Santidade!", implora o preocupado motorista; mas 
o Papa continua empolgado na direção, com o pé no acelerador,
 até que se ouviram sirenes atràs da limusine..
"Oh, meu Deus, vou perder a minha carta de condução e o
emprego!", soluçava  e muito preocupado o motorista.
 O Papa encosta a limusine e abaixa o vidro quando o policia se
aproxima;
 Quando este olha para ele, regressa à moto e cantactou pelo 
rádio co a Central.
"Preciso de falar com o Chefe", informa o policia de trânsito..
O Chefe responde e o polícia diz-lhe que mandou parar uma 
limusine que seguia a 200 quilômetros por hora.
"Então aplique-lhe a multa pesada a esse gajo”, diz o Chefe.
"Acho que não vai dar para fazer isso, o proprietário da
 limusine é uma pessoa muito importante", diz o policia.
O Chefe exclama, "Por isso mesmo, multa esse sacana, que 
deve ser daqueles fazem as leis só para outros cumprirem!"
"Mas este, deve ser um indivíduo muito importante", insiste o 
policia.
Então o Chefe pergunta, " Afinal quem é esse individuo tão
 importante?
 Presidente da Câmara?"
E o policia: "Mais importante".
O Chefe: " é Um deputado?"
Policia: "Mais importante"
Chefe: "Um ministro, 1º ministro ou o Presidente da República
Policia: "Muito mais importante!"
Chefe: "Mas então quem é na verdade?!"
Policial: " Eu penso que é Deus!"
O Chefe fica atrapalhado, "E o que te leva a pensar que seja 
Deus?"

Policia: "O motorista dele é o Papa!"

Auto retrato gráfico de Rafael


Cabelos grisalhos, olhos castanhos, moreno
Bem servido de peso, com 1,74 de altura.
Vulgar aspeto, simples, amarelada figura,
Nariz semi- achatado mas não pequeno.


Com propensão para as grandes mudanças.
É sensível a carências  de toda a ordem
      É contra aos misoneístas, e à desordem
Nunca aos anárcas e sabujos  deu fianças.


Católico pouco convicto, detesta fanatismos
Não evita críticas ao insolente e ao patrão
Recusa a alinhar com certos populismos.


Eis o Rafael de Souza de exíguo talento inato
Fraca figura, de pouca cultura e apresentação
A sociedade e os pais fizeram-lhe este retrato.

domingo, 12 de fevereiro de 2017

A pontuação num texto é muito importante

 A vírgula é um dos elementos que causam mais confusão
 na língua portuguesa. Pouca gente sabe ao certo onde
deve e onde não deve usá-la. O motivo disso é simples:
sempre nos ensinaram de forma errada! 
Já deve ter ouvido dizer coisas como "a vírgula é usada para
 indicar pausa", ou "prestem atenção em como vocês falam,
quando tiver pausa, usem vírgula".. Tudo isso não é correto
 pois cada pessoa fala de maneira diferente, usa pausas
 diferentes e, basicamente, decide como quer falar. Mas não
 podemos, simplesmente, decidir onde tem e onde não tem
 vírgula. Ela tem poder demais para ser arbitrária.
A virgula é importante?
Pois bem, existem algumas regras para o uso da vírgula, e
elas são baseadas na gramática. Calma, não se assuste! O
 objetivo aqui é "triturar" a gramática para que não estrague
 os seus dentes. (No final do artigo proponho um interessante
exercido a todos os leitores).
Clique para continuar a ler:
1.    USE A VÍRGULA PARA SEPARAR ELEMENTOS QUE
VOCÊ PODERIA LISTAR

Veja esta frase:João Maria Ricardo Pedro e Augusto
 foram almoçar.

Note que os nomes das pessoas poderiam ser separados
numa lista:
Foram almoçar:

·                     João
·                     Maria
·                     Ricardo
·                     Pedro
·                     Augusto
Isso significa que devem ser separados por vírgula na frase
Origina João, Maria, Ricardo, Pedro e Augusto foram
almoçar.
Note que antes de “e Augusto” não tem vírgula.
Regra geral, não se usa vírgula antes de "e". Há um caso
específico que explico mais à frente.
Um outro exemplo:
A sua fronte, a sua boca, o seu riso, as suas lágrimas
enchem-lhe a voz de formas e de cores... (Teixeira de
Pascoaes).
2.  USE A VÍRGULA PARA SEPARAR EXPLICAÇÕES QUE
ESTÃO NO MEIO DA FRASE
Explicações que interrompem a frase são mudanças de
 pensamento e devem ser separadas por vírgula. Exemplos:
Mário, o jovem que traz o pão, não veio hoje.
Dá-se uma explicação sobre quem é Mário.
Eu e tu, que somos amigos, não devemos guerrear.
O trecho sublinhado explica algo sobre "eu e tu", portanto
deve estar entre vírgulas. A classificação do trecho seria
oração adjectiva explicativa.

3.  USE A VÍRGULA PARA SEPARAR O LUGAR, O TEMPO
OU O MODO QUE VIER NO INÍCIO DA FRASE
Quando um tipo específico de expressão — aquela que indica
 tempo, lugar, modo e outros — iniciar a frase, usa-se vírgula.
 Noutras palavras, separa-se o adjunto adverbial antecipado.
 Exemplos:
Lá fora, o sol está de rachar!
"Lá fora" é uma expressão que indica "lugar". Um adjunto
adverbial de lugar.
Na semana passada, todos vieram jantar aqui em casa.
"Na semana passada" indica tempo. Adjunto adverbial de
tempo.
De um modo geral, não gostamos de pessoas estranhas.
"De um modo geral” é sinónimo de "geralmente", adjunto
adverbial de modo, por isso tem vírgula.

4.USE A VÍRGULA PARA SEPARAR ORAÇÕES
 INDEPENDENTES
Orações independentes são aquelas que têm sentido, mesmo
estando fora do texto. Já vimos um tipo dessas, que são as
 orações coordenadas assindéticas, mas também há outros
casos. Vamos ver os exemplos:
Acendeu um cigarro, cruzou as pernas, estalou as unhas,
demorou o olhar em Mana Maria.
Neste exemplo, cada vírgula separa uma oração independente.
Elas são coordenadas assindéticas.
Eu gosto muito de chocolate, mas não posso comer para não
 engordar.
Eu gosto muito de chocolate, porém não posso comer para não
 engordar.
Eu gosto muito de chocolate, contudo não posso comer para
 não engordar.
Eu gosto muito de chocolate, no entanto não posso comer para
 não engordar.
Eu gosto muito de chocolate, entretanto não posso comer para
não engordar.
Eu gosto muito de chocolate, todavia não posso comer para não
engordar.
Entendeu? Antes de todas essas palavras, chamadas de
conjunções adversativas, tem vírgula.
Agora só faltam mais duas coisinhas:
Existem casos em que a vírgula é opcional?
o se usa vírgula antes de “e”?
Vimos em cima que, regra geral, não se usa vírgula antes de
"e". Há só um caso em que se usa vírgula, que é quando a frase
depois do "e" fala de uma pessoa, coisa, ou objecto (sujeito)
 diferente da que vem antes dele. Assim:

O sol já ia fraco, e a tarde era amena.
Note que a primeira frase fala do sol, enquanto a segunda fala
da tarde. Os sujeitos são diferentes. Portanto, usamos vírgula.
 Outro exemplo:
A mulher morreu, e cada um dos filhos procurou o seu
destino
Existe um caso. Lembra-se do item 3, em cima? Se a expressão
de tempo, modo, lugar etc. não for uma expressão, mas sim
 uma palavra só, então a vírgula é facultativa. Vai depender do
 sentido, do ritmo, da velocidade que você quer dar para a frase.
 Exemplos:
Depois vamos sair para jantar.
Depois, vamos sair para jantar.
Geralmente gosto de almoçar no 'shopping'.
Geralmente, gosto de almoçar no 'shopping'
Na semana passada, todos vieram jantar aqui em casa.
Na semana passada todos vieram jantar aqui em casa.
Note que este último é o mesmo exemplo do item 3. Vê como
sem a vírgula a frase também fica correta? Mesmo não sendo
 apenas uma palavra, dificilmente algum professor dará errado
se você omitir a vírgula.
Não se usa a vírgula!
Com as regras acima, pode ter a certeza de que vai acertar
99% dos casos em que precisará da vírgula. Um erro muito
 comum que vejo é gente separar sujeito e predicado com
vírgula.
Forma errada:
João, gosta de comer batatas.
Alice, Maria e Luísa, querem ir para a escola amanhã.
Forma certa:
João gosta de comer batatas.
Alice, Maria e Luísa querem ir para a escola amanhã.
 
EXERCÍCIO SOBRE VÍRGULA E PONTUAÇÃO
O sr. Alfredo estava já no fim da vida e escreveu o seu 
testamento. Infelizmente, esqueceu-se da pontuação, e o texto 
ficou assim:
Deixo minha fortuna ao meu sobrinho não à minha irmã
 jamais pagarei a conta do alfaiate nada aos pobres
Reescreva o testamento 4 vezes. Em cada uma delas você deve
dar a herança para alguém diferente. Pode usar qualquer sinal 
de pontuação, mas não pode mudar as palavras. É um exercício
 interessante e tem várias formas de ser resolvido. Escreva as
 suas tentativas nos comentários.
 Mais outro exemplo:
Um indivíduo escreveu esta frase numa parede “ Morra Salazar
não faz falta à nação”! (O Policia da Pide quis logo prendê-lo e
autor disse-lhe: deixe-me pôr a pontuação),
“Morra Salazar? Não! Faz falta à nação